Home Região MP faz operação para cumprir mandado de prisão contra o ‘Pezão’ de Casimiro, no RJ

MP faz operação para cumprir mandado de prisão contra o ‘Pezão’ de Casimiro, no RJ

3 primeira leitura
Comentários desativados em MP faz operação para cumprir mandado de prisão contra o ‘Pezão’ de Casimiro, no RJ
0
37

Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro realiza nesta quarta-feira (11) a Operação Retorno para cumprir um mandado de prisão preventiva contra Alessandro Macabú Araújo, conhecido como “Pezão”, ex-presidente da Câmara de Casimiro de Abreu, no interior do Rio, além de quatro mandados de busca e apreensão em casas de pessoas ligadas a ele. A operação aconteceu por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ)

Segundo o MPRJ, eles foram denunciados pelos crimes de concussão e peculato e associação criminosa. Em 2016, “Pezão” foi afastado da presidência da Câmara por desvios de até R$ 87 mil.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, “Pezão” obrigava cinco funcionários contratados do gabinete e repassar parte do salário recebido para ele próprio. Eles recebiam entre R$ 1,2 mil e R$ 5 mil e ficavam com até R$ 700, repassando o restante do valor para o ex-vereador, segundo o MPRJ. O Ministério Público também “requereu o sequestro dos bens móveis e imóveis dos denunciados e o bloqueio de suas contas bancárias em valores acima de R$ 5 mil”.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pelo Ministério Público nas casas do ex-chefe de gabinete da presidência da Câmara, Jairo Macabú Soares; do ex-assessor especial da presidência, Wilson da Silva Oliveira Neto; e da sogra de Jairo, Divana Saturnino da Silva, que ocupava cargo em comissão na Câmara Municipal de Casimiro de Abreu.

Ainda de acordo com a denúncia, Jairo e Wilson eram responsáveis por recolher mensalmente parte da remuneração dos funcionários e repassar ao ex-vereador. Divana foi denunciada porque, segundo as investigações, não exercia qualquer função na Câmara, recebendo o salário sem trabalhar.

G1 tentou entrar em contato com os acusados, mas não conseguiu uma resposta até a publicação desta reportagem.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação Cadê Campos
Carregar mais por Região
Comentários estão fechados.

Veja Também

Homem abusa de esposa e é absolvido por “não saber que estupro é crime”

Um homem foi absolvido da acusação de estupro contra a sua própria esposa sob a argumentaç…