Home Sem categoria Moradores de Tócos organizam Café Literário

Moradores de Tócos organizam Café Literário

4 Primeira leitura
Comentários desativados em Moradores de Tócos organizam Café Literário
0
27
Em clima de muita alegria, na última sexta-feira (10), a centenária sede da Sociedade Musical Nossa Senhora da Penha, em Tócos, sediou um Café Literário organizado pelos próprios moradores da região com o objetivo de criar opções culturais para todos os públicos. Nesta primeira edição, o convidado foi o escritor Gildo Henriques, que apresentou o seu livro “O Segredo do Capitão Garrafa e Outras Histórias”, lançado durante a Bienal Internacional do Livro este ano.
Além da apresentação do livro, que é dedicado e baseado em histórias tendo o Distrito de Tócos como cenário, foi exibido para o público presente o filme com a exibição da peça teatral de mesmo nome, encenada em novembro de 2011, no Teatro do Sesi Campos, com direção de Fernando Rossi. Segundo Gildo Henriques, esse livro surgiu por uma sugestão do próprio Fernando, que é diretor do Teatro de Bolso Procópio Ferreira
– Esse livro surgiu por causa do Fernando Rossi, que me incentivou a fazer uma adaptação teatral com alguns contos que haviam sido premiados em concursos literários, separei quatro contos, “O Segredo do Capitão Garrafa”, “Tinenti”, “Jovinha Doida”, “Filatelia”, “O Cinema, a Lupa e o Tempo” e “Um Pé de Tamarindo”, e adaptei para o teatro em 2011, encenada no Teatro do Sesi sob a direção do próprio Fernando Rossi. Estar aqui neste espaço para falar de um livro com histórias que mexem muito comigo, que me fazem lembrar da minha infância, da minha região, da Baixada da Égua, é algo que me traz uma alegria enorme. As narrativas trazem preocupações ambientalistas, como, por exemplo, a degradação da Lagoa Feia, a segunda maior do Brasil, ao mesmo tempo em que revela a um rito de passagem de garotos da inocência para o caminho de toda uma vida – explica Gildo Henriques.
Para a moradora de Tócos e uma das organizadoras do Café Literário, Renata Gonçalves, a comunidade se mobilizou intensamente para a realização do evento. Segundo ela conta, os moradores do distrito buscaram local para a realização da atividade cultural, sendo a sede da Sociedade Musical Nossa Senhora da Penha escolhida por ser um ponto de referência histórica muito importante à toda a comunidade de Tócos. “Estamos muitos felizes em termos conseguido realizar esse Café Literário. Nossa mobilização foi grande e a presença do Gildo Henriques foi muito importante, porque ele nasceu, cresceu e se inspira em Tócos para escrever suas histórias. Esperamos realizar outros – frisou Renata Gonçalves.
Supcom
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação Cadê Campos
Carregar mais por Sem categoria
Comentários estão fechados.

Veja Também

Programação quilombola marca passagem do Dia da Consciência Negra

Mais de 150 pessoas participaram, nesta segunda-feira (20), na localidade de Aleluia, na r…