Home Cidade Em entrevista, Gilmar Mendes chama juiz Glaucenir de Oliveira de “personagem menor”

Em entrevista, Gilmar Mendes chama juiz Glaucenir de Oliveira de “personagem menor”

6 Primeira leitura
Comentários desativados em Em entrevista, Gilmar Mendes chama juiz Glaucenir de Oliveira de “personagem menor”
0
94

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, atacou o juiz Glaucenir Oliveira em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes. Mendes chamou Glaucenir, que é titular da 98ª Zona Eleitoral de Campos, de “personagem menor” e afirmou que o magistrado “não existe no contexto geral”. O ministro também denunciou a existência de um “ambiente fascista”, supostamente alimentado pela imprensa.

A resposta de Mendes veio quando o ministro foi questionado pelo apresentador do programa “Fala, Datena” sobre as críticas que recebe devido à sua atuação em casos de políticos acusados de crimes de corrupção. Sem citar nominalmente Glaucenir, o presidente do TSE afirmou que “uma briga da magistratura e do Ministério Público com as forças políticas locais” se tornou um “grande case para personagens menores da história”.

“Isso passou a dar prestígio para pessoas que não existem no contexto geral. Você vê, é um juiz que já se envolveu em briga de boate com arma, que já prendeu guarda municipal e que, agora, vem acusar um ministro do Supremo por que decidiu contra a sua decisão. Quer dizer, esse é o ambiente que se criou no Brasil, um tipo de verdadeiro fascismo. Quem decide contra as expectativas dessa gente, que está muito apoiada num tipo de mídia que se construiu, tem que ter algum tipo de desvio. Eles não”, disse Mendes.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

No último dia 20 de dezembro, o ministro determinou a soltura de Anthony Garotinho (PR), preso em novembro durante a Operação Caixa D’Água, da Polícia Federal (PF), por decisão do magistrado. Glaucenir apontou o ex-governador do Estado do Rio de Janeiro como líder de uma organização criminosa, que contaria, inclusive, com um braço armado.

Um áudio atribuído ao juiz, que viralizou em um programa de mensagens instantâneas poucos dias depois, insinua que a decisão foi comprada: o presidente do TSE teria recebido uma “mala grande” de dinheiro para conceder Habeas Corpus a Garotinho.

Após a conversa, que seria particular, se tornar pública, a Corregedoria Nacional de Justiça anunciou que vai instaurar um pedido de providências para apurar a conduta de Glaucenir. O juiz, porém, recebeu solidariedade tanto da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) quanto do Fórum Nacional dos Juízes Criminais (Fonajuc), que destacaram, respectivamente, “o trabalho sério e de alta qualidade” e o “direito de liberdade de expressão e de pensamento em um espaço privado”.

A equipe de reportagem do Jornal Online Terceira Via entrou em contato com o juiz Glaucenir Oliveira, que preferiu não se posicionar sobre o assunto.

Críticas à imprensa — Ainda em sua fala, o ministro Gilmar Mendes acusa a imprensa de ter responsabilidade na criação deste suposto “ambiente fascista” que havia denunciado e sugere aos veículos de comunicação uma “autocrítica”.

“Vocês (a imprensa) bateram palma pra maluco dançar. Vocês incentivaram pessoas que não têm a menor qualificação. A mídia tem que fazer uma autocrítica”, finalizou.

ÁUDIO

Ouça, abaixo, a parte da entrevista em que o ministro Gilmar Mendes fala sobre o “caso de Campos”.

A íntegra da entrevista, de quase 50 minutos, pode ser ouvida aqui.

 

JornalTerceiraVia

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação Cadê Campos
Carregar mais por Cidade
Comentários estão fechados.

Veja Também

Dois homens e quatro mulheres são presos por tráfico de drogas

Seis pessoas, sendo dois homens e quatro mulheres foram presos, neste sábado (19/05), ao s…